Friday, August 16, 2013

Home sweet home

Apesar de já ser final de maio, a primavera havia se atrasado naquele ano. O brilho fraco do sol e os poucos graus Célcios daquela tarde me faziam esquecer que algum dia haveria um verão.
A campainha soou com a chegada de uma amiga quem me levaria ao aeroporto. Nós duas arrastamos desajeitadamente as malas pesadas pela escadaria de madeira daquele prédio antigo e partimos. Ou melhor, eu parti. Estava indo para uma temporada na casa de meus pais no Brasil, após o termino do doutorado aqui na Alemanha.
Um avião, outro avião, mais outro e após 32 horas de viagem eu já não conseguia me lembrar porque havia trazido comigo tantos casacos. O outono em Ilha Solteira não parecia estar ainda muito motivado.
Voltar ao meu lugar de origem depois de um longo tempo fora dele foi uma experiencia inusitada. Foi como voltar a Londres após ter passado anos em Nárnia e se deparar com o mundo real antes esquecido. Isto tudo foi também como uma surpresa nostálgica, a redescoberta do velho, que se tornava novo mais uma vez. Juntamente, vem então a parte mais chocante dessa experiencia: o reencontro comigo mesma.
- Ah, eu era assim? Eu falava dessa forma? Eu usava essas roupas? Era isso que eu comia?
A "velha Débora" estava lá e eu nem ao menos me lembrava dela. Neste instante, o momento presente me oferecia a oportunidade de simplesmente esquecer o que havia se passado nos últimos anos fora do país. Mas essa oferta barata eu não poderia aceitar. Não por completo, mas pelo menos uma parcela dela deveria ser incorporada para evitar possíveis conflitos. Então o que se segue pelas semanas seguintes é consequência de um modelo híbrido do meu próprio eu. A mistura havia sido feita e mais uma vez o processo era irreversível.
Por mais estranho que pareca, tudo é apenas parte de um curso normal que se repete em menor intensidade todos os dias. Mudar, faz parte de viver.

Por-do-sol no rio Paraná, em Ilha Solteira-SP. 









13 comments:

  1. Oi amada!

    Refletir sobre nós e o quanto e como mudamos é tão bom. Faz parte do tal" amadurecimento" que tanto se fala. Lima foto! Linda imagem!

    Não consigo seguir seu blog : (

    Quando clico no link não abre a janela pra seguidores.

    Beijos!

    Selma

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Selma,
      Obrigada :)
      agora consertei o followers :)
      bjsss

      Delete
  2. Oi, flor, senti sua falta na blogosfera!
    Sobre "reencontrar" com o passado, faz parte do crescimento e das mudanças que levam ao amadurecimento... e como você mesma, sabiamente, conclui: Mudar, faz parte de viver. Gostei de sua reflexão, muito bem escrita como sempre. beijinhos.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ah eu tambem senti falta de todas as minhas amigas blogueiras!
      vou passar la no seu blog para conferir mais dicas de looks ;)
      bjsss

      Delete
  3. Oi Débora!!!

    Que bom que estás de volta!!! Imagina a saudade dos seus pais, sua família, seus amigos, seu lar antigo, tudo faz parte do crescimento.
    Será que você ainda está no Brasil ou já voltou para a Alemanha?
    Que coisa que o seu outro blog desconfigurou... era tão lindo as fotos, viagens, textos e dicas para outros estudantes... espero que tu consiga arrumá-lo!!! Gostei do seu novo blog, seu texto e linda imagem!!! Tudo de bom!!!
    Bjs :)

    ReplyDelete
  4. Oi Bia,

    nossa, foi uma looonga historia... vou contando aos poucos, nem eu sei onde estou exatamente hahaha
    Eu consegui fazer o download do blog antigo como um backup.

    bjsss

    ReplyDelete
  5. Oi Débora,
    Quanto tempo... Quanto se passou na sua vida!
    Haja adaptação nessa fasea... Impossível não comparar o cantinho verde e amarelo com o cantinho amarelo, vermelho e preto... Impossível, como você disse, voltar a ser a Débora de antes sem agasalhar a Débora que você se tornou.
    Boa sorte querida.
    Te seguindo!!!
    Beijo

    ReplyDelete
  6. Olá Débora!! Nossa quanto tempo.... que bom te "ver" e te ler de novo aqui na blogosfera... pelo jeito muitas mudanças aconteceram na sua vida. Espero que você redescubra a outra Débora, e que essa, assim como a outra, reinvente uma nova história. Um abraço querida e bom final de semana :-)

    ReplyDelete
  7. Oi Sandra!
    Que bom te "ver" também por aqui!
    obrigada :)
    um otimo final de semana para voce tambem!
    bjsss

    ReplyDelete
  8. Gosto muito, quem sabe vc tmb:

    O mundo é grande demais para se nascer e morrer no mesmo lugar- Plabo Nerruda

    Bjo,
    Mari

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Marianna!
      Sim! Gostei muito!
      bjsss

      Delete
  9. Sabe, eu tava aqui tentando entender quem é a Dé. Agora fez todo sentido.

    ReplyDelete